23 maio, 2010

A minha ausência

As teias que eu tenho que tirar daqui, pelo menos da minha parte, porque visitas eu sei que vou tendo e agradeço, comentários e mails privados, mas um-não-sei-quê, não me tem deixado fazer a minha vida normalmente.
O psiquiatra já não sabe o que fazer porque já estava na hora de ir deixando aos poucos a medicação mas estou completamente dependente dela. Não que eu ande mal, porque parece que me deu pózinhos de rir e boa disposição, mas sem eles viro bicho.
Só me apetece estar onde não estou, ou onde não houver ninguém, parece que estou desconfortável na minha própria pele. O trabalho tem-se complicado, consequentemente, como uma bola de neve, tudo vai atrás...
Espero por dias melhores.
Acho que vou aproveitar para vos mostrar fotos que tiro nas fugidas de dou de casa, as paisagens por aqui na primavera são um colírio para os olhos.

1 comentário:

Cristina disse...

olá ana espero que já andes melhor.
sei bei o que é andar como tu aqui descreves.
beijocas e muita força.